Ouça na sua plataforma preferida!
Média

0

10 baseada em 0 votos.
Avalie:
Você ainda não votou.
Aguarde...

Faça o login para votar.

Esta página ainda está sendo preenchida. Encontrou algum erro ou quer nos ajudar a preenchê-la? Manda um salve!

Letra da música O Necrotério dos Vivos

[Introdução]
Necrotério dos vivos, dos vivos
Necrotério dos vivos, aqui jaz, aqui jaz
Necrotérios dos vivos, você aqui jaz, aqui jaz

[Verso 1]
Não teve vela no castiçal e crucifixo
Mas desde o ventre materno ‘tão te velando vivo
Quando se tem que sequestrar os filhos do gerente
Você existe biologicamente, mas não socialmente
Não passa de um escravo comprado
Com os direitos roubados pelo Ministério do Trabalho
Outro finado que respira e só sorri
Se o juiz converter a pena em sursis
Foda-se sua declaração de nascido vivo
Assassinaram o controle do seu destino
Se o GARRA quiser, inventa reunião de facção
E espalha a carne da sua família por um quarteirão
Querem que você só sinta o batimento cardíaco
Rasgando o Brinks e curtindo no sítio
Enquanto eles criminalizam movimento social
Metralham o denunciador de abuso policial
Prova da morte do nosso senso crítico
É o comício que não tem um drone explosivo
Walking Dead real, versão do opressor
Onde a vida começa no assalto, na agência de penhor
Em breve no ar mais uma transmissão ao vivo
De outro bonde invadindo, rumo aos jazigos
Os mano vão tá de G3, festejando a tiros
Ampliando nós que tá no necrotério dos vivos

[Refrão]
Mesmo longe dos sacos de corpos
Mesmo sem coração crivado de tiros
Mesmo sem túmulos com a sua foto
Você aqui jaz no necrotério dos vivos
Mesmo longe dos sacos de corpos
Mesmo sem coração crivado de tiros
Mesmo sem túmulos com a sua foto
Você aqui jaz no necrotério dos vivos

[Verso 2]
Quer uma dica pra reanimação de cidadania
Leia a Constituição 5 minutos por dia
Esquece se o mano canta rap de rolê
Sem crise, sem treta, se morder pra quê?
Luta por sobrevivência não aceita infantilidade
Divisão entre nós por musicalidade
Viver é ter a opção de não ser torturado pelo delegado
Pra assumir os homicídios do bairro
É pode criar uma sociedade onde os nossos ouvidos
Não ouçam um comandante da ROTA estuprar o artigo quinto
São iguais perante a lei um caralho
Tem uma abordagem pra favela e outra pro bairro valorizado
No dia que fechar com algoz, tive morte encefálica
Odeio a casa grande, nasci na senzala
Por mim, tatuaria na testa do granfino
“Ladrão, vacilão, matador de meninos”
Que depois de atirar no uniforme da escola
Ainda faz postagem difamatória
Penso, logo existo
Só curtiria o vídeo do político cavando a cova pra ser enterrado vivo
Ele nos faz vegetar sem os três mil mensal
Que garante o nível superior educacional
Ele nos faz vegetar no necrotério dos vivos
Rajando mosquito blindado que dizima excluído

[Refrão]
Mesmo longe dos sacos de corpos
Mesmo sem coração crivado de tiros
Mesmo sem túmulos com a sua foto
Você aqui jaz no Necrotério dos Vivos
Mesmo longe dos sacos de corpos
Mesmo sem coração crivado de tiros
Mesmo sem túmulos com a sua foto
Você aqui jaz no Necrotério dos Vivos

[Verso 3]
O pior é saber que a criança no chão da escola
Em breve vai tá liderando conflito lá fora
Vai ser vitima da policia e do blogueiro
Que pede tratamento à pólvora pro povo brasileiro
Meio ambiente não influencia, seu cu
É um mês indigente para querer malote do Itaú
O que importa ter sinal vital quando não se freia os pelotões do terrorismo estatal?
Quando não se vê que ódio é a legitima defesa
Pra que o bebê não cumpra pena com a mãe presa
Enquanto somos politicamente sepultados
800 mil sonham com um bom advogado
O não contemplado no BNDES
Se desenvolve derrubando quem vacilou no GPS
Fique rico ou morra tentando
Mas honre a morte em vida de seus pais se humilhando em trampos
Pra te livrar do parça agravando sua ação no carro
Gritando “atira no fulano” e você dando disparo
Fugi a regra, não tô no latrocínio
Esperando progressão depois de cumprir 2/5
Tô fazendo sangue e circo virar vida e livro
Mesmo que um tribunal condene meu ativismo
Vou botar água envenenada no chopp do rico
Ressuscitando Lázaros no necrotério dos vivos

[Refrão]
Mesmo longe dos sacos de corpos
Mesmo sem coração crivado de tiros
Mesmo sem túmulos com a sua foto
Você aqui jaz no necrotério dos vivos
Mesmo longe dos sacos de corpos
Mesmo sem coração crivado de tiros
Mesmo sem túmulos com a sua foto
Você aqui jaz no necrotério dos vivos

O que você achou de O Necrotério dos Vivos?