Ouça na sua plataforma preferida!
Média

0

10 baseada em 0 votos.
Avalie:
Você ainda não votou.
Aguarde...

Faça o login para votar.

Esta página ainda está sendo preenchida. Encontrou algum erro ou quer nos ajudar a preenchê-la? Manda um salve!

Letra da música ABC do Feminicídio

[Verso 1: Eduardo]
Quando a conheci, foi amor à primeira vista
Lembro da data, do perfume e da roupa que estava vestida
Me apresentei, recebi de resposta um sorriso
Nem acreditei quando aceitou namorar comigo
Conto de fadas? Que nada, que me fez largar as armas
E chorar de emoção quando disse que tava grávida
Desde o início os pais não deram consentimento
É como se tivessem tido um mal pressentimento
Fomos morar juntos e junto vieram as agressões
Logo os palavrões evoluíram pra escoriações e luxações
Em vez de pensar em enxoval, berço com ero
Gastava a merreca dos bicos na noitadas em puteiros
Como não usava camisinha, a contaminei
Com sífilis e outras DST que eu nem sei
Espancamento virou rotina mesmo na gestação
Se alguém perguntar fala que foi um escorregão
Proibi qualquer contato com seus parentes
Pra não verem os hematomas e que eu tinha quebrado seus dentes
Em depressão, tomou remédio pra se matar
No P.S. falei: “Amor, mil desculpas, confia que eu vou mudar”
O erro de toda mulher é depois da agressão
Acreditar nas juras de amor e no pedido de perdão
Por experiência digo: Quem te agride só vai parar
Quando rosquearem as borboletas do seu caixão pra enterrar

[Refrão: Jota Ariais]
Mulher merece respeito e carinho
Não socos, palavrões, facadas e tiros
Não pode ser submissa, refém do machismo
Nem número no ranking do feminicídio
Mulher merece respeito e carinho
Não socos, palavrões, facadas e tiros
Não pode ser submissa, refém do machismo
Nem número no ranking do feminicídio

[Verso 2: Eduardo]
O primeiro dos quatro filhos nasceu prematuro
Acelerei o parto com uma par de murro
Bem louco, nem fui na maternidade pra buscar
No resguardo, ela apanhou tanto até o leite secar
Minha prisioneira porque não tinha estudado
Não tinha como me largar e entrar no mercado de trabalho
Os vizinhos discavam 190, em todas as inteligências
Que não dava Maria da Penha porque ela omitia a violência
Na verdade, eu não queria uma esposa
Queria alguém pra cozinhar, transar e lavar minha roupa
Eu era outro machista da sociedade patriarcal
Que põe mulher no mais baixo degrau político e profissional
Onde é normal marido praticar crimes contra a honra
Demolir a autoestima: “Cada vadia, puta sem vergonha”
Tomou coragem e fez o boletim de ocorrência
Fui preso e obrigado a deixar a minha residência
O delegado lavrou o flagrante, paguei a fiança
Ainda fui condenado a dar pensão pra ela e pras crianças
Enquanto me acomodava na garagem de um amigo
Arquitetava cada detalhe pro seu feminicídio
Não adiantou os manos me darem um papo na comunidade
“Catou mó boi, tio, era falha pra ir pro debate
Proceder de cuzão, homem que é homem bate em macho
Se não deu certo o casamento, é cada um pro seu lado ”

[Refrão: Jota Ariais]
Mulher merece respeito e carinho
Não socos, palavrões, facadas e tiros
Não pode ser submissa, refém do machismo
Nem número no ranking do feminicídio
Mulher merece respeito e carinho
Não socos, palavrões, facadas e tiros
Não pode ser submissa, refém do machismo
Nem número no ranking do feminicídio

[Verso 3: Eduardo]
Não podia chegar a 500 metros de distância
Não seria crime passional, só uma sórdida vingança
No meu cérebro obsessivo, psicótico e ignorante
A culpa não era minha, devia ter um amante
Já que é isso que essa desgraçada e ingrata quer
Vou aumentar o fracasso da delegacia da mulher
Sempre tive sentimento de posse, não era amor
Mas não suportei a rejeição quando ela me largou
Comecei a perseguir, ameaçar no celular
Fez incontáveis denúncias que nem iria adiantar
Vigiava sua rede social, não me conformava em ver
Que longe de mim ela tinha razões pra viver
Seu destino trágico foi decretado, selado
Quando vi no Face a foto com o novo namorado
Descontrolado, esperei sair do emprego novo
Tomou cinco facadas e morreu com a medida protetiva no bolso
Fui linchado pelos que passavam na rua
Infelizmente salvo com a chegada de uma viatura
Pelo meu crime hediondo, não mereço perdão
Mereço ser despedaçado numa rebelião
Espero que quando você estiver ouvindo esse relato
A justiça tenha sido feita: Punhal num quadrilátero
Pra que não corra o risco de eu ser outro feminicída
Que sai em 10 anos pra fazer outra vítima

[Refrão: Jota Ariais]
Mulher merece respeito e carinho
Não socos, palavrões, facadas e tiros
Não pode ser submissa, refém do machismo
Nem número no ranking do feminicídio
Mulher merece respeito e carinho
Não socos, palavrões, facadas e tiros
Não pode ser submissa, refém do machismo
Nem número no ranking do feminicídio

O que você achou de ABC do Feminicídio?