Ouça na sua plataforma preferida!
Média

0

10 baseada em 0 votos.
Avalie:
Você ainda não votou.
Aguarde...

Faça o login para votar.

Esta página ainda está sendo preenchida. Encontrou algum erro ou quer nos ajudar a preenchê-la? Manda um salve!

Letra da música Brilho Esfacelado

Aos 12 fui seduzido de forma precoce
Pelo sonho da máquina de ketchup que embala papelote
Na adolescência não via a hora de ter uma Cyclop
Fazer uma tattoo por ter derrubado um Robocop
Imerso na cultura da violência seu espelho
Não é o professor mas o que tem no nome uma pá de enterro
Seus ídolos não publicam pesquisa de medicina
São os que dão salve, determinam a disciplina
Entre vender pano de prato, quis a CR-V no sinal
Logo de um gambé que atirou na minha coluna cervical
Pulverizou a medula espinhal, tecido nervoso
Que conecta o cérebro ao resto do corpo
Pro ortopedista, neurologista não sairia vivo
Aconselharam minha mãe a providenciar um jazigo
Acordei do coma e ouvi do doutor de sorriso estampado
Você perdeu os movimentos do pescoço pra baixo
O PM da escolta aproveitou pra tirar um barato
Nunca mais vai comer buceta ladrão aleijado
Brilho do crime esfacelado, quis o suicídio
Mas o dano na vértebra C6 não me deixava puxar o gatilho
Implorei pra que a UTI fosse invadida por meus manos
Não pra me resgatar mas desligar o ventilador mecânico
Bem melhor a morte lenta da asfixia
Do que entrar no mundo desencantado da tetraplegia

Arrisquei tudo que eu tinha no banco de apostas
Onde o azar representa tiro e deficiência dolosa
Ganhei fim solitário, depressivo com atrofia
Viagem só de ida pro mundo da tetraplegia

Arrisquei tudo que eu tinha no banco de apostas
Onde o azar representa tiro e deficiência dolosa
Ganhei fim solitário, depressivo com atrofia
Viagem só de ida pro mundo da tetraplegia

De alta o juiz de custódia me mandou pra casa
Não existe ala prisional pra lesão medular traumática
Sem células-tronco pra regeneração
Um barraco sem adaptação é meu centro de recuperação
Sem acompanhamento psicológico, ortopédico
Só uma cadeira de rodas comprada no ferro-velho
A fisioterapia é outra mulher de cabelo grisalho
A única que ficou do lado do filho inválido
A que eu xingava por avisar que as notas da registradora
Não valem nossa coordenação motora
Minha mina vazou pra não passar pomada em escara
Ela amava o 157 que esbanjava na balada
Perdi meus contatos, 1 terabyte de trutas
Porque eu não banco mais Absolut e orgia com puta
Quando o peso dos ossos fazem úlceras na sua pele
Acabou, é nóis, eu te amo moleque
Fiz minha mãe pedir ajuda pros parceiros da antiga
Que responderam “faz um vídeo e posta pedindo comida”
Filhos da puta, eu no topo faltavam chupar meu pau
Eu fudido, mandam minha guerreira fazer vaca virtual
No passado desacatava, socava fardado
Agora eu nem guio comando cerebral pra um braço
Antes a meta era o estojo de jade do joalheiro
Hoje seria uma Champions League sozinho no banheiro

Arrisquei tudo que eu tinha no banco de apostas
Onde o azar representa tiro e deficiência dolosa
Ganhei fim solitário, depressivo com atrofia
Viagem só de ida pro mundo da tetraplegia

Arrisquei tudo que eu tinha no banco de apostas
Onde o azar representa tiro e deficiência dolosa
Ganhei fim solitário, depressivo com atrofia
Viagem só de ida pro mundo da tetraplegia

Minha invalidez é culpa do dono de Bugatti
Que curte camarote exclusivo pra alta classe
Pro maior feito ser posar do lado do cantor
Que é da cor que ele sempre discriminou
A cada 40 minutos a política do rico
Produz dolosamente 4 deficientes físicos
Pena meu trauma me impedir de quando o tirano sair do cargo
Meter 50 tiros na lataria do carro
Pelo cirurgião que manda nudes no celular
Em vez de pegar o braço decepado e reimplantar
Pelo otorrino que não cura surdez vinda de projétil
Ou o oftalmo que deixa o olho ferido a bala ficar cego
Devia ter feito algo útil pra sociedade
Decapitado o padre com crianças nuas no pendrive
Já que não quis ofereço meu drama pra te conscientizar
Se espelhe em quem não vai reaprender a andar
Entenda que o dinheiro do crime é amaldiçoado
Vem com mão mecânica, órteses, vegetais acamados
Quem não quer invadir o terminal de carga de Cumbica
A bordo de duas viaturas clonadas da polícia
Se der certo: Caralho mano, puta estouro
Milhões de reais, vários quilos de ouro
Se der errado: Caixão, cela superlotada
Ou sonhar como eu, com uma cadeira motorizada

Arrisquei tudo que eu tinha no banco de apostas
Onde o azar representa tiro e deficiência dolosa
Ganhei fim solitário, depressivo com atrofia
Viagem só de ida pro mundo da tetraplegia

Arrisquei tudo que eu tinha no banco de apostas
Onde o azar representa tiro e deficiência dolosa
Ganhei fim solitário, depressivo com atrofia
Viagem só de ida pro mundo da tetraplegia

O que você achou de Brilho Esfacelado?