Ouça na sua plataforma preferida!
Média

0

10 baseada em 0 votos.
Avalie:
Você ainda não votou.
Aguarde...

Faça o login para votar.

Esta página ainda está sendo preenchida. Encontrou algum erro ou quer nos ajudar a preenchê-la? Manda um salve!

Letra da música Dia De Desfile II – A Apoteose

[Intro]
Sábado de carnaval que beleza
Dia de desfile, desse jeito

[Ponte]
É dia de desfile é, só alegria
Meu Rap é o enredo, som da periferia
Aqui bancada vai cantar a minha rima
E eu vou pra avenida ao som da minha bateria
É dia de desfile é, só alegria
Meu Rap é o enredo, som da periferia
Aqui bancada vai cantar a minha rima
E eu vou pra avenida ao som do Rap

[Verso 1]
20 e poucos anos já fazem milianos
O Rap é a viagem, São Paulo é a cidade
Demorou sim, foi difícil pra mim
A guerra não acabou, eu vou até o fim
Pois sou nó na madeira, tipo Jão Nogueira
Meu bumbo é pesado, tipo estação primeira
Na roda de samba eu sou sempre mais um bamba
Ai, na avenida eu sou o Imperador do Ipiranga
Bateria nota 10 se liga no breque
Tico no compadre e Luciano nos scratchs
Gosto dos versos de Dorival Caymmi
Vida de negro é difícil, mas não vou comprimir
Quero melhor para mim e para todos os meus
Acredito no trabalho sobre o que tem Deus
Com ele esqueço a dor, é tudo paz e amor
Por tudo isso agradeço ao senhor

You might also like
Quantos Morros
Rappin’ Hood
Zé Brasileiro
Rappin’ Hood
A Cultura
Sabotage

[Refrão]
Graças a Deus sou
Sou negrão sou
Graças a Deus sou
Sou negrão sou
Graças a Deus sou
Sou negrão sou
Sou negrão
Sou negrão
2X

[Verso 2]
Meu enredo vem falar da coisas que vi pelas ruas
Doa a quem doer, a verdade nua e crua
Do moleque do farol até a preta velha gorda
Vai subindo o morro com a trouxa de roupa
Sem plano de saúde, sem paz, sem sossego
Vai levando a vida assim, sem dinheiro
Guerreira, parceira, mulher companheira
A honra da escola, a porta bandeira
Trazendo o estandarte, então abram alas
Diz o cavaleiro do morro, o mestre sala
Que sempre manda ideia pra toda a pivetada
Que passa o dia na favela sem fazer nada
Barraco de madeira, disse alegoria
Não tem roupa de marca, não tem fantasia
Sonhando quem dera um dia vencer na vida
Virar modelo é o sonha da passista na avenida
Ter vida de artista, trabalhar na TV
Sair para comprar tudo que sempre quis ter
Ir do morro para o asfalto, ter vida de madame
Restaurante francês, perfume italiano
Sou comissão de frente, isto minha gente
Pra ser consciente eu fui duro, diferente
Sempre pra frente, sempre informado
Revolucionando com a harmonia lado a lado
Na ala vejo toda a tradição
É dia de desfile irmão, eu sou negrão

[Refrão]

(Dia de desfile, ai…)

O que você achou de Dia De Desfile II – A Apoteose?