Ouça na sua plataforma preferida!
    Média

    0

    10 baseada em 0 votos.
    Avalie:
    Você ainda não votou.
    Aguarde...

    Faça o login para votar.

    Esta página ainda está sendo preenchida. Encontrou algum erro ou quer nos ajudar a preenchê-la? Manda um salve!

    Letra da música Rap da Abolição

    [Verso 1]
    E eu tenho uma vida diferente da sua
    Já tive mordomias, mas hoje durmo nas ruas
    Não quero nem saber que dia é, que horas são
    Pois eu sou um fruto novo de uma nova geração
    Geração que não pensa, que não sabe o que fazer
    Quando ver a burguesia tomar conta do poder
    E eu sei que você pensa que estou ficando louco
    Talvez o meu futuro seja corda no pescoço
    Mas eu não mudo a minha opinião
    Eu trabalho e dou um duro e ainda me chamam de ladrão
    E se me chamam de ladrão eu boto logo pra correr
    Não só aqui, no mundo inteiro negro luta pra viver

    [Refrão]
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer

    [Verso 2]
    Madame se liga, não pisa mais aqui
    Não é porque que eu sou negro você vai pisar em mim
    Eu já rodei uma vez, não rodo nunca mais
    Não serei ovelha negra na cabeça do meu pai
    E como diz a Verde Branco, o negro vai a guerra
    O negro ajudou a construir a nossa terra
    Hoje você discrimina, critica a abolição
    Não lembra a pele branca na palma da mão
    Eu canto o rap e faço tudo pra esquecer
    Indiferente simplesmente para o mundo não vou ser

    [Refrão]
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer

    [Verso 1]
    E eu tenho uma vida diferente da sua
    Já tive mordomias, mas hoje durmo nas ruas
    Não quero nem saber que dia é, que horas são
    Pois eu sou um fruto novo de uma nova geração
    Geração que não pensa, que não sabe o que fazer
    Quando ver a burguesia tomar conta do poder
    E eu sei que você pensa que estou ficando louco
    Talvez o meu futuro seja corda no pescoço
    Mas eu não mudo a minha opinião
    Eu trabalho e dou um duro e ainda me chamam de ladrão
    E se me chamam de ladrão eu boto logo pra correr
    Não só aqui, no mundo inteiro negro luta pra viver

    [Refrão]
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer

    [Verso 2]
    Madame se liga, não pisa mais aqui
    Não é porque que eu sou negro você vai pisar em mim
    Eu já rodei uma vez, não rodo nunca mais
    Não serei ovelha negra na cabeça do meu pai
    E como diz a lei do branco, o negro vai a guerra
    O negro ajudou a construir a nossa terra
    Hoje você discrimina, critica a abolição
    Não lembra a pele branca na palma da mão
    Eu canto o rap e faço tudo pra esquecer
    Indiferente simplesmente para o mundo não vou ser

    [Refrão]
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer
    Se hoje eu pareço um vilão pra você
    É porque antes não me deram chances de vencer

    Sobre Rap da Abolição

    A música Rap da Abolição, de Os Metralhas, foi lançada no disco O Som das Ruas, em 1988.

    O que você achou de Rap da Abolição?