Ouça na sua plataforma preferida!
Média

0

10 baseada em 0 votos.
Avalie:
Você ainda não votou.
Aguarde...

Faça o login para votar.

Esta página ainda está sendo preenchida. Encontrou algum erro ou quer nos ajudar a preenchê-la? Manda um salve!

Letra da música Rabo de Saia

[Verso 1: Gabriel, o Pensador]
Quando nascemos, fomos programados
Pra conquistar muitas mulheres
Se quiséssemos ser considerados
Homens com “H”, homens de bem
Um cabra macho ou macho, macho man
Existem vários rótulos, chame como quiser
Mas o caso é que os moleques são treinados pra caçar mulher
E isso vem desde o berçário
Se você não azarar a enfermeira boa, vai crescer otário
Ou então vai ser da turma do Lafond
(“Luana!”)
(Para com isso, eu sou o Haroldo, o hétero machão!)
Que que há… Não precisa disfarçar…
(O que falam de mim são calúnias!)
Ah, vai enganar!
A escolha é sua, liberdade sexual
Mas se você quiser ser hétero e poder dizer: “eu sou normal!”
Mesmo assim você passa por um processo educacional
Que supervaloriza o sexo
Mas se você for fêmea, tem que reprimir
Ou vai levar má fama
(“Joga pedra na Geni!”)
Desde pequeno, você recebe as influências
O que é um exemplo pros meninos
Pras meninas, é uma indecência
Todo pai quer que seu filho seja um…
(Pensador?)
Não um…
(Cavalheiro?)
Não… um comedor!
Um Don Juan, o bam bam bam, rei da cocada preta
(Ah, é pra comer cocada, pai?)
(Não, é pra comer…)
(Paiê, como é que a barriga da gente cresce?)
(Minha filha, agora, não, vai brincar de boneca, esquece
E você, filhão, vai brincar de médico lá na vizinha!)
É assim que o cidadão aprende a ser galinha
Chamar as donzelas de cadelas, olhando as bundas na praia
Correr feito um cão, abanando o rabo por um rabo de saia

[Refrão: Gabriel, o Pensador]
Não posso ver um rabo de saia!
Não passo sem um rabo de saia!
Preciso
(de quê?) de um rabo
(de quê?) de um rabo
(de quê?) de um rabo de saia!

[Verso 2: Gabriel, o Pensador]
Tenho que assumir que isso é como um vício
(Homem submisso)
Hã, pára com isso!
Não é qualquer rabo de saia que me domina
Tem menina com quem eu só saio por causa da vagi…E do…
Peraí! Tô meio confuso!
Só sei que não é pra fazer amor
(Faz o que então?)
Eu cruzo, uso e abuso
Satisfaço minhas necessidades
Mas no fundo o que eu procuro é uma mulher de verdade
E a mulher que me mereça, merece que eu seja fiel
(Triiiimm!)
Peraí, deixa eu atender o GrahamBell
(Alô! Eu sei que você tá namorando, mas sai comigo hoje, Biel?)
Ai meu Deus não faz isso, assim eu não vou pro céu!
Mas “saber que vou pro céu não me deixa feliz”
(A carne é fraca!)
É, adivinha o que que eu fiz?
(Diz!)
Não vou dizer, mas se é pecado foi Deus quem criou
E como diz o ditado “O diabo aperfeiçoou”
Hora do rango:
(O senhor aceita uma panela de salmão?)
Não, meu prato predileto é a costela…. de Adão!
(Não serve um peito de peru com ovos?)
Eu nem provo e reprovo
Me vê um rabo de saia, e traz logo!

[Refrão x2: Gabriel, o Pensador]
Não posso ver um rabo de saia!
Não passo sem um rabo de saia!
Preciso
(de quê?) de um rabo
(de quê?) de um rabo
(de quê?) de um rabo de saia!

[Verso 3: Gabriel, o Pensador]
As vezes é esculacho
Não sei com qual cabeça eu penso
Se com a de cima ou com a… ah, ah!
Eu acho que talvez seja melhor seguir o instinto
(Vem cá, mulher! Você pinta como eu pinto?)
Ah! Assim não!
Tem que ter um papo cabeça, um caô!
(Qual é teu signo?
Vamos pro motel?)
(Demorou!)
Eu nem quero saber se é a mulher de alguém
Eu vou fazer que nem o Pac-Man
Que que tem se a sua namorada me dá mole, hein?
Tem culpa eu?
(Tem!)
Oba! Me dei bem!
(Tem fogo?)
Que? Tô mais aceso que um isqueiro
Se tu quiser eu apago teu fogo feito bombeiro
E depois te jogo num cinzeiro
Mas primeiro eu te bebo, te como, te cheiro, te fumo!
Pois aprendi a ver as mulheres como um objeto de desejo
Um sonho de consumo!
Nesse imenso shopping center um bom par de pernas
Deixa agente feito “Capitão Caverna!”
Um primata!
Mas não sou maluco feito Paiakan
Diz aí Maluf:
(Estupra, mas não mata!)
Se é a mulher que me provoca, eu não sou de aço
(Eu te ataco feito um pitbull!)
Eu viro um Tyson!
Mas não me jogue atrás das grades longe da gandaia
Eu passo fome, mas não passo sem um rabo de saia

[Refrão x2: Gabriel, o Pensador]
Não posso ver um rabo de saia!
Não passo sem um rabo de saia!
Preciso
(de quê?) de um rabo
(de quê?) de um rabo
(de quê?) de um rabo de saia!

[Verso 4: Gabriel, o Pensador]
Minha alma não é pequena
Mas nem tudo vale a pena, entende?
Tem coisas de que a gente se arrepende
Tem rabo de saia que você olha depois e se pergunta:
Pelo amor de Deus! Como é que foi possível?
Baixei o nível!
Que coisa horrível!
(Isto é incrível!)
Mas não me chamem de mal comportado gente!
Eu me comporto exatamente de acordo com o modelo existente
Para o homem do mundo atual
Não sou nenhum tarado, nenhum maníaco sexual
Atire a primeiras pedra quem nunca pecou!
Ih! Parou!
(Que foi?)
Sujou! Minha namorada chegou…

(Que isso, que papo é esse de rabo de saia?
Cachorro!
Sai, sai!)
Que é que tem mulher?
(Que é que tem? Cara-de-pau!
Larga! Que baixaria!)
Dá um beijinho, dá!
(Que mané beijinho! Sai pra lá!)

O que você achou de Rabo de Saia?